A Juvenilização da EJA em São João de Meriti/RJ e sua Correlação com o Poder Local

Autores

  • Marcos Vinicius Reis Fernandes Universidade do Estado Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Políticas Públicas e Formação Humana. RJ, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6044-981X
  • Marcia Soares de Alvarenga Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação – Processos Formativos e Desigualdades Sociais. RJ, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8686-9844

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8733.2023v24n4p499-506

Resumo

A questão sobre a juvenilização da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Brasil, em particular no Ensino Médio, tem sido objeto de pesquisas e debates, o que faz emergir a problemática sobre o caráter da sua oferta em determinados contextos territoriais. O presente trabalho teve por objetivo principal analisar a relação entre o fenômeno do crescimento de matrículas de jovens na modalidade EJA, na etapa do Ensino Médio, no município de São João de Meriti (SJM) localizado na grande região da Baixada Fluminense – RJ – e a ausência de políticas públicas neste município. Ancorada na perspectiva do materialismo histórico-dialético procedeu-se ao levantamento de sinopses estatísticas com acesso a dados abertos, a partir dos quais buscou-se compreender a dinâmica desta modalidade educacional em interfaces com a realidade vivenciada pelos jovens nesta cidade. Os resultados apontam que os jovens da EJA de São João de Meriti trazem a marca social da classe trabalhadora. As múltiplas determinações contribuem para o fenômeno da juvenilização da EJA do Ensino Médio, sendo agravadas em um município de periferia do capital, mas, necessário a este, articulado pelas relações de forças entre os governantes e os grupos sociais hegemônicos que constituem o poder local. A gestão governamental recorreu a estratégias políticas educacionais, institucionalizando a migração compulsória de jovens para a EJA, o que explicita o alinhamento da modalidade às orientações em curso fomentadas pelos organismos internacionais.

Palavras-chave: Direito à Educação. Educação em Periferias Urbanas. Juventude Trabalhadora.

Abstract
The question on the juvenilization of Youth and Adult Education (EJA) in Brazil, particularly in High School, has been the subject of research and debate, which gives rise to the issue of the character of is offer in certain territorial contexts. The main objective of this work was to analyze the relationship between the phenomenon of growth in enrollment of young people in the EJA modality, in the high school stage, in the municipality in São João de Meriti (SJM) located in the large region of Baixada Fluminense – RJ – and the absence of public policies in this municipality. Anchored in the perspective of historical-dialectical materialism, statistical synopses were surveyed with access to open data, from which an attempt was made to understand the dynamics of this educational modality in association with the reality experienced by young people in this town. The results indicate that young people from EJA in São João de Meriti bring the social mark of the working class. The multiple determinations contribute to the phenomenon of juvenilization of EJA in High School, being aggravated in a municipality on the outskirts of the capital, but, necessary for this, articulated by power relations between the rulers and the hegemonic social groups that constitute the local power. Government management resorted to educational political strategies, institutionalizing the compulsory migration of young people to EJA, which explains the alignment of the modality with the ongoing guidelines promoted by international organizations.

Keywords: Right to Education. Education in Urban Peripheries. Working Youth.

Biografia do Autor

Marcos Vinicius Reis Fernandes, Universidade do Estado Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Políticas Públicas e Formação Humana. RJ, Brasil.

Doutorando em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH/UERJ), Mestre em Educação – processos formativos e desigualdades sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Membro do grupo de pesquisa Políticas Públicas e Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores (PPEJAT-CNPQ).
ORCID https://orcid.org/0000-0001-6044-981X. E-mail: viniciusiserj@gmail.com

Marcia Soares de Alvarenga, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação – Processos Formativos e Desigualdades Sociais. RJ, Brasil.

Professora associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), atuando no
Programa de Pós-graduação em Educação – processos formativos e desigualdades sociais e
no curso de Pedagogia da Faculdade de Formação de Professores. Doutora em Educação
pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Líder do grupo de pesquisa Políticas Públicas e
Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores (PPEJAT-CNPQ).
ORCID https://orcid.org/0000-0002-8686-9844. E-mail: msalvarenga@uol.com.br

Downloads

Publicado

2024-01-03

Como Citar

FERNANDES, M. V. R.; ALVARENGA, M. S. de. A Juvenilização da EJA em São João de Meriti/RJ e sua Correlação com o Poder Local. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, [S. l.], v. 24, n. 4, p. 499–506, 2024. DOI: 10.17921/2447-8733.2023v24n4p499-506. Disponível em: https://revistaensinoeeducacao.pgsscogna.com.br/ensino/article/view/10339. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos