A Perspectiva Histórico-Cultural nos Cursos de Psicologia do Ceará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8733.2023v24n4p478-485

Resumo

A discussão acerca da necessidade da construção de uma psicologia que considere o contexto social, cultural e histórico no qual os sujeitos estão inseridos é crescente. Embora a perspectiva histórico-cultural apresente esse olhar, segundo o qual as pessoas são compreendidas a partir das suas condições históricas, sociais e culturais, ainda não é conhecido o nível de disseminação dessa teoria nos cursos de graduação em psicologia. Diante disso, o objetivo desta pesquisa é verificar a presença de disciplinas que tenham a psicologia histórico-cultural em seus títulos, na grade curricular dos cursos de graduação em psicologia do Estado do Ceará. Para tanto, realizou-se uma pesquisa de abordagem quantitativa de tipo documental que consistiu na busca por disciplinas que apresentem esse olhar vigotskiano nas grades curriculares dos cursos de psicologia disponíveis nas páginas eletrônicas das Instituições de Ensino Superior (IES) do referido Estado. Para compor esta análise buscou-se, inicialmente, resgatar o processo de estruturação curricular dos cursos de graduação em psicologia no Brasil e apresentar uma caracterização desses no contexto cearense. Verificou-se que, no Ceará, há 51 cursos de psicologia registrados, ofertados em 44 IES. Destes, apenas 8 cursos oferecem disciplinas com nomenclaturas relacionadas ao pensamento histórico-cultural. Diante disso, infere-se que, apesar dos avanços, ainda é possível perceber uma lacuna nos cursos de graduação em psicologia do Ceará no que se refere à oferta de disciplinas que tenham a apresentação do referido pensamento como foco principal.

Palavras-chave: Formação Profissional. Psicologia Histórico-Cultural. Ensino Superior. Psicologia.

Abstract
The discussion about the need to build a psychology that considers the social, cultural and historical context in which the subjects are inserted is growing. Although the historical-cultural perspective presents this view, according to which people are understood from their historical, social and cultural conditions, the level of dissemination of this theory in undergraduate psychology courses is still unknown. Therefore, the objective of this research is to verify the presence of disciplines that have historical-cultural psychology in their titles, in the curriculum of undergraduate psychology courses in the State of Ceará. To this end, a research with a quantitative approach of a documentary type was carried out, which consisted of the search for disciplines that present this Vygotskian look in the syllabuses of the psychology courses on the websites of the Higher Education Institutions (HEIs) of the aforementioned State. To compose this analysis, we initially sought to rescue the curricular structuring process of undergraduate courses in psychology in Brazil and present a characterization of these in the context of Ceará. It was found that, in Ceará, there are 51 psychology courses registered, offered in 44 HEIs. Of these, only 8 courses offer disciplines with nomenclatures related to the historical-cultural perspective. In view of this, it is inferred that, despite the advances, there is a gap in psychology courses in Ceará with regard to professional training that understands the subject historically constructed and aligned with the real demands of society.

Keywords: Professional qualification. Cultural-historical psychology. University education. Psychology.

Biografia do Autor

Elcides Hellen Ferreira Landim Barreto, Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia. CE, Brasil.

Doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Possui graduação em Psicologia pela Faculdade Leão Sampaio, Especialização em Psicologia Aplicada à Educação pela Universidade Regional do Cariri e Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará.

Mateus Villarroel Alcântara Saraiva Leão , Universidade Federal do Ceará, Curso de Psicologia. CE, Brasil.

Graduando em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará.

Luiza Eridan Elmiro Martins de Sousa , Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia. CE, Brasil.

Graduação em Psicologia, Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade pela Universidade Estadual do Ceará, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Ceará.

Cícera Mônica Silva Sousa Martins , Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia. CE, Brasil.

Doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Possui graduação em Psicologia pela Faculdade Leão Sampaio, especialização em Políticas Públicas em Saúde Coletiva pela Universidade Regional do Cariri e Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará.

Zulmira Áurea Cruz Bomfim, Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia. CE, Brasil.

Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará, Mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília e Doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Ceará.

Nara Maria Forte Diogo Rocha, Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia. CE, Brasil.

Doutorado em Educação Brasileira pela UFC, Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Docente da Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia.

Downloads

Publicado

2024-01-03

Como Citar

BARRETO, E. H. F. L.; LEÃO , M. V. A. S.; SOUSA , L. E. E. M. de; MARTINS , C. M. S. S.; BOMFIM, Z. Áurea C.; ROCHA, N. M. F. D. A Perspectiva Histórico-Cultural nos Cursos de Psicologia do Ceará. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, [S. l.], v. 24, n. 4, p. 478–485, 2024. DOI: 10.17921/2447-8733.2023v24n4p478-485. Disponível em: https://revistaensinoeeducacao.pgsscogna.com.br/ensino/article/view/10491. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos